domingo, 30 de outubro de 2016

LUTAS E SONHOS

Há quem passe pela vida na pasmaceira,
Há quem se inquieta por pequenas ou grandes coisas,
Há quem se acomoda e não reivindica a menor coisa,
Há quem sonha e prossegue a buscar,
Há quem apenas sonha mas nada faz,
Há quem deseja, mas é incapaz de uma saída...
Há quem, sobretudo, sonha, deseja, luta e tenta alcançar.
Há, ainda bem, nessa vida, gente que sabe que não se pode parar.
Ainda que não se tenha sempre vitórias, não pode deixar de buscar...

A. Dionísio
Barreiras, 30 de outubro de 2016.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

INQUIETUDE

Carregava no peito e no ser
Dores,
Incertezas,
Sonhos não realizados,
Alegrias pela metade,
Desejos sufocados,
Vontades insatisfeitas,
Ansiedades constantes,
Buscas intermináveis,
Lágrimas derramadas,
Inquietude dilacerante,
Inquietude massacrante.

(Barreiras, 7.10.2016)

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

NOVO ÂNIMO

Chegaste de repente, do quase nada,
Quando nem esperava,
Ainda quando nenhum raio de sol despontava,
Quando nuvens negras desbabavam sobre minha frágil estrutura.

E, de repente, algo novo aconteceu,
Um novo dia despontou,
A alegria retornou
E a paz aconteceu.

Foi assim, então, tão de repente,
Que minha vida se transformou
E foi inundada por uma torrente de alegria,
Por uma saraivada de entusiasmo,
Por uma onda gigantesca de serenidade,
Por uma nesga imensa de luz...

A. Dionísio
Barreiras (BA), 26.02.2016

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

NATAL: A SIMPLICIDADE HABITOU EM NÓS

Naquela cidadezinha esquecida, marginalizada.
Naquela estrebaria, naquela manjedoura.
Foi ali que nasceste, Jesus.
Escolheste uma jovem pobre e humilde,
Um varão justo e sem muitas posses.
Vieste a nós na maior pobreza e despojamento.
Vieste a nós na mais simplicidade possível
Para revelar-nos algumas verdades esquecidas:
Somos grandes quando nos tornamos pequenos,
Somos elevados diante de ti quando aprendemos a lição do serviço,
Ganhamos moral diante de ti quando buscamos viver na simplicidade e no amor gratuito...

Naquela cidadezinha conhecida como casa do pão (Belém)
Armaste a tua tenda entre nós,
Tornando-se visível o rosto misericordioso do Pai.
Mostrando-nos que, apesar de nossa fragilidade,
Podemos ser criaturas novas e melhores,
Revestidas dos valores do bem, da humanidade e da solidariedade.
Naquela casa do pão revelaste uma ternura imensa
Por cada ser humano que vem a este mundo,
Dizendo-nos que é possível nos revestirmos dos valores edificantes
Da paz, da justiça, da fraternidade e da amizade...

Que nossos lares sejam a casa do pão
Onde possas habitar
E encontrar aconchego e carinho,
A fim de que nossas vidas sejam menos tristes e doloridas...

(Barreiras, BA. 21.12.2015)

sábado, 27 de junho de 2015

MANIAS

Cada um no seu canto com seu tanto de manias.
Cada um com suas idiossincrasias.
seus gostos, seus desejos e sonhos.
Cada um com suas esquisitices e absurdos.
Cada um com sua pureza e maquiavelice.
Cada um com suas vontades às vezes explícitas, às vezes reprimidas...

Mas , quem somos nós para emitirmos julgamentos?
Quem somos nós para criticarmos
Ou emitirmos juízos de valores,
Se no fundo ou no raso também temos as nossas também?

Nós aqui um com nossas manias,
nossas idiossincrasias,
nossos gostos, desejos e sonhos,
com nossas esquisitices e absurdos.
Com nossas purezas e maquiavelices
Com nossas vontades explícitas e implícitas.

Diga-me, aqui, afinal: quem pode atirar pedras em alguém por suas manias?
Quem pode?
Alguém pode?


A. Dionísio
Barreiras, 27.6.15

quinta-feira, 19 de março de 2015

TEIMOSIA

Ás vezes cansado, às vezes desanimado,
Muitas vezes triste, cheio de dor,
Às vezes desiludido comigo mesmo
E com o mundo.

Mas em cada dia que acordo
Renasce em mim a esperança,
A vontade de retomar a caminhada,
O desejo de prosseguir.

... é a teimosia da jornada da vida
Que dá forças ao caminheiro para caminhar!


A. Dionísio
Barreiras, 19 de março de 2015
Solenidade de São José.

sábado, 3 de janeiro de 2015

ORAÇÃO NO DESALENTO

Senhor, muitas vezes nos sentimos desalentados,
sem ânimo, coragem, sem forças para prosseguir a jornada.
Muitas vezes o desespero toma conta de nossa frágil estrutura
e ficamos perdido, desorientados, sem saber o que fazer...
Nessas hora, a quem recorrer?
Por isso, estamos aqui, diante de ti, suplicando:
Olha para a nossa vida,
enche-nos de novo ardor,
de coragem,
de forças redobradas,
de novo alento.
Orienta nossos passos,
ilumina nossa estrada,
revigora nossas forças,
reveste-nos de esperança
e ajuda-nos a prosseguir!
Que a vida não seja um fardo,
que os desafios do cotidiano não sejam barreiras infinitas,
que as dores não perdurem por tanto tempo...
Que encontremos as saídas, as luzes necessárias
para solucionarmos as questões obscuras.
Que tenhamos em meio da travessia mãos amigas e solidárias
que nos apoiem e socorram nas adversidades!
Que tudo isso passe e brilhe o novo sol da tua força sobre nossa vida!
Amém!